Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TVZONA

TVZONA

'A Casa' é denunciado ao Ministério Público e Direitos Humanos após estreia

Junho 30, 2017

sherlisgomes

Depois do final do "Power Couple Brasil", marcado pela vitória de Nayara Justino, a Record estreou o seu novo reality , "A Casa", com uma polêmica na última terça-feira (26). O programa apresentado por Marcos Mion foi denunciado ao Ministério Público e aos Direitos Humanos, segundo informação do colunista Leo Dias, do jornal "O Dia". Na atração, 100 participantes são reunidos em uma casa que comporta uma família de 4 pessoas - com quatro quartos, dois banheiros e quatro toalhas - para buscar o prêmio inicial de R$ 1 milhão. Os itens de higiene são repostos diariamente, mas apenas em 4 unidades. No primeiro episódio, os participantes se secaram com cueca após o banho para não dividir as toalhas que estavam encharcadas.

Participantes são responsáveis por gerenciar dinheiro da casa
O diferencial do reality show é que os participantes são responsáveis por administrar o prêmio inicial de R$ 1 milhão. A cada semana, um dos moradores é escolhido como "dono da casa" e pode gastar o dinheiro para comprar itens necessários para o confinamento: comida, produtos de higiene, limpeza, dentre outros. No entanto, a quantia gasta será reduzida do prêmio final. "É um reality de sobrevivência que, ao invés de ser na selva, é em uma casa", avaliou o diretor geral Rodrigo Carelli. O dono da casa, aliás, será o único com direito a uma suíte privativa e a escolher quantos candidatos serão eliminados na semana. A votação não terá intervenção do público.

'É um projeto fascinante', avalia Marcos Mion
Marcos Mion, casado com Suzana Gullo há 12 anos, é responsável por comandar o reality show. O âncora, depois de uma cirurgia no septo nasal, garantiu que está muito satisfeito com a ideia do novo programa. "É um projeto fascinante. Uma experiência única na minha vida, uma vez que é a primeira vez que apresento um reality de confinamento. Antes, tive experiência à frente de Ídolos, mas era diferente. Levo humor e leveza, pois a pressão é grande. Além disso, o bacana é que eu interajo com os participantes. Não apareço por meio de um telão. Eu os ouço. Mas não tomo partido. Sabe aquele pai que, quando chega em casa, e tem de ouvir dois filhos que brigaram? Então, é mais ou menos o que acontece quando eu entro na casa para falar com eles."

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D